DEV Community

Cover image for O que eu aprendi escrevendo 50 artigos
Lissa Ferreira for Feministech

Posted on • Updated on

O que eu aprendi escrevendo 50 artigos

Como isso começou?

Comecei a escrever no final de 2019, influenciada principalmente pelos Youtubers que eu eu assistia, criei uma conta no VivaAoLinux, e comecei a ajudar as pessoas no fórum com dúvidas técnicas, e comecei a escrever alguns posts, sendo o artigo "Como posso começar a programar?" o primeiro.

Sinceramente, eu tenho uma certa vergonha desse artigo. Desde a linguagem não inclusiva como "os programadores", ou a péssima didática e abordagem, a introdução parecendo uma redação do ENEM, dados sem função no texto e códigos largados no meio, algo péssimo pra mostrar pra alguém que tá se interessando à programar.

Mas tá tudo bem. Esse foi meu primeiro texto, é ÓTIMO que eu olhe pra ele hoje em dia com desprezo, porque eu evoluí. eu sou muito melhor, muito mais capaz, muito mais atenciosa, muito mais inclusiva, complexa mas ainda buscando a simplicidade, completa mas apenas mostrando uma parte. Eu me tornei melhor.

2019

Como eu disse, comecei a escrever no VivaAoLinux, mas depois de pouco tempo desanimei, então no final escrevi duas dicas, e um artigo.

2020

Nesse ano eu investi na produção de conteúdo mais na forma de Live Coding, que foi algo que eu conheci nesse período, por isso não escrevi artigos. Mas caso você queria saber mais sobre esse ano pra mim, eu falo um pouco mais sobre no artigo Meu caminho até aqui.

2021

Comecei o ano escrevendo meu primeiro artigo no Dev.to, sendo o "Criando jogos com javascript e P5.play", um artigo que hoje em dia é desatualizado e todo o código dele não funciona mais, mas foi muito importante pra mim.

Depois de um tempo, escrevi meu artigo mais visualizado até hoje, que é o Instalando e Utilizando ZSH, nisso eu aprendi que é impossível de prever se um artigo seu vai bombar ou não. É algo que só acontece e tá tudo bem ser assim.

No meio do ano co-fundei a Kotlinautas, uma comunidade que busca produzir e divulgar conteúdo sobre a linguagem Kotlin na língua portuguesa. Eu contribuí com a comunidade principalmente escrevendo artigos, inclusive tem um período onde eu publicava um artigo, ou até dois por semana rs.

Ao longo do tempo fui cansando, e aprendendo que devemos tomar cuidado com burnout, mas também com fazermos algo demais, e esse algo perder a graça, então eu passei um tempo sem escrever.

2022

No começo desse ano fiz a transição pública de gênero (conto mais sobre isso no artigo TRANSquimia: do carvão pro diamante) e entrei na Feministech. E lá dentro, eu aprendi que eu podia ser inspiração pra outras pessoas, quando eu via outras minas me dando suporte emocional, e sendo referências pra mim.

Eu poderia fazer essa mesma função para outras pessoas, que como eu, estão em uma situação muito perigosa na nossa sociedade, e que só sobra pensar no futuro para ter alguma chance de alcançar a paz, a liberdade, a alegria de viver e ser feliz.

Comecei a fazer isso aumentando o número de artigos, sempre publicando um por semana, me propondo a palestrar, participar de webnairs, produzir eventos, me dando liberdade pra mostrar pra outras pessoas que elas poderiam fazer tudo que quisessem como eu, que elas poderiam produzir, se divertir, que elas tem o direito de serem incríveis sendo quem elas são.

E esse é atualmente o principal motivo que eu produzo artigos e conteúdo no geral, inspirar pessoas.

O que eu aprendi com tudo isso?

Eu aprendi muito sobre redação, então agora consigo escrever diversos tipos de texto, com objetivos e dinâmicas diferentes, desde um artigo corrido tentando contar uma narrativa como esse, algo mais poético como TRANSquimia: do carvão pro diamante, artigos de passo a passo como o Passo a passo para começar a escrever artigos, entrevistas como Quem é Bug_elseif?, grandes tutoriais como Criando uma API com Ktor, até artigos que mais parecem uma conversa como O quê são comunidades de tecnologia?.

Aprendi muito também sobre didática, e como guiar um conteúdo, introduzindo o tema e finalizando.

E por último, aprendi muito sobre pessoas. Como lidar com pessoas, como responder elas, como engajar elas a participar das duas coisas, eventualmente também participando da sua vida.

Vale a pena escrever artigos?

Sim, com certeza. principalmente se você nunca produziu algum conteúdo ainda, porque em um artigo você pode começar, voltar, reescrever, editar depois,etc. Diferente de vídeos, lives, palestras,etc. que não tem essa possibilidade.

Finalização

É isso. 50 é pouco, e o céu é só o pedágio de Deus, bora pra frente.

Muito obrigada por ler ❤️🏳️‍⚧️ e me segue nas redes, é tudo @lissatransborda 👀

Discussion (0)