DEV Community

Pedro Calado for VaiVoa

Posted on • Originally published at pedrohcalado.notion.site

Princípios de Design da Apple para iOS

Human Interface Guidelines
Por trás de todo bom aplicativo no ecossistema da Apple, que possuem excelente user experience, estão boas práticas e padrões de design fornecidos pela própria Apple para cada um dos seus dispositivos, o Human Interface Guidelines (HIG). Desde o design dos ícones até a interação dos usuários com objetos de realidade aumentada, a ideia do HIG é fornecer padrões para que o time de produto como um todo, desde designers até desenvolvedores, consiga entregar produtos extraordinários, que os usuários gostem de usar, que sejam bonitos e simples ao mesmo tempo.

Neste artigo, vamos tratar especificamente do guia de design para iOS, trazendo um overview dos princípios do guia e alguns pontos essenciais que temos que levar em consideração ao projetarmos nossas aplicações.

O que faz o iOS ser único na visão da Apple

Existem 3 princípios que norteiam e diferenciam o iOS das demais plataformas de acordo com a Apple:

  • Clareza

    O foco do design deve ser em guiar o usuário de maneira simples e intuitiva. Textos legíveis, ícones precisos, adornos sutis e apropriados, tendo como fim principal a funcionalidade, todas essas características fazem o iOS ser diferente. Quando você precisa enviar uma mensagem, compartilhar uma foto ou até mesmo saber se uma funcionalidade está ativa ou não, você consegue facilmente identificar o que cada ícone faz, trazendo clareza para o usuário.
    Exemplo de ícones

  • Deferência

    Se olharmos o significado da palavra deferência no dicionário, encontraremos algo como "atitude de respeito e consideração a um superior ou a pessoa mais velha". E aqui a ideia é exatamente essa: o design deve realçar o conteúdo, sendo este o mais importante e o que deve ser destacado. O design deve "trabalhar" para o conteúdo. Como exemplo, quando temos um fundo borrado, o conteúdo que não está borrado é pra onde nosso foco vai, fazendo com que foquemos no que realmente importa.
    Exemplo de foco no conteúdo

  • Profundidade

    A ideia aqui é que sua aplicação seja dividida em camadas, tendo uma certa hierarquia que facilita o usuário ao navegar pelas informações, com transições entre telas que forneçam um senso de profundidade e permitam que o usuário acesse funcionalidades sem perder o contexto.
    Exemplo de camadas

Princípios de Design

Integridade Estética

Esse ponto se refere ao quão bem a aparência e comportamento de um app se comunica com a sua funcionalidade. Uma aplicação crítica, como, por exemplo, que faz o controle de um sistema aéreo, deve focar em ter comportamentos previsíveis, evitando inserir elementos essencialmente estéticos que só trarão ruídos e não acrescentarão funcionalidade. Já uma aplicação mais imersiva como um jogo, por exemplo, deve possuir uma aparência mais cativante e até usar comportamentos imprevisíveis, permitindo que o usuário faça descobertas enquanto usa o app.

Consistência

Consistência se refere a fazer com que o app funcione da maneira com que o usuário espere que ele se comporte, trazendo padrões de gestos familiares, usando elementos já fornecidos pelo sistema, ícones (como ícones de lixeira, compartilhamento, etc.) e palavras conhecidas. De maneira geral, os usuários de smartphones já adquiriram hábitos de utilização que são difíceis de mudar, então devemos ao máximo tentar manter esses comportamentos.

Manipulação Direta

O ponto aqui é fazer com que o usuário possa ver alterações imediatas ao interagir com o app, seja rotacionando o celular ou interagindo com gestos e toques no conteúdo da tela.
Gif de gesto para acessar a home no iPhone

Feedback

O feedback corresponde a manter os usuários informados sobre suas ações como, por exemplo, por meio de indicadores de progresso do download de arquivos, sons, alertas e a vibração do celular que ajuda o usuário a identificar o resultado de suas interações com o dispositivo e suas aplicações.Indicador de loading e progressoSilent mode ativado

Metáforas

Metáforas são como uma digitalização de algo da vida real. Desde ícones dos apps, como o ícone do app de e-mail que representa uma carta, até aplicativos como o de gravação de áudio que simula as frequências conforme a intensidade do som gravado.
Frequência de sons
Ícones usando metáforas

Controle do Usuário

A ideia aqui é que o usuário esteja no comando, e não os apps. As aplicações devem guiar o usuário, alertar sobre erros, dar feedback, mas nunca ter o controle. Por exemplo, uma aplicação que requer o uso da localização, como o Google Maps, solicitará ao usuário permissão para usar esse dado, explicando a necessidade dessa utilização. Com isso, o usuário está no controle, o que dá ao app certa confiabilidade.
Google maps solicitando uso da localização

Conclusão

Esses são os princípios que guiam o design dos produtos da Apple e o que fazem, de acordo com eles, o iOS diferente das demais plataformas em termos de user experience. No meu ponto de vista, ficou claro que o usuário é ponto principal em tudo o que fazem, mantendo-o no centro das decisões e fornecendo ferramentas que vão facilitar o uso das aplicações e trazer conforto e confiança.

pedrohcalado image

.
linha horizontal

Disclaimer

A VaiVoa incentiva seus Desenvolvedores em seu processo de crescimento e aceleração técnica. Os artigos publicados não traduzem a opinião da VaiVoa. A publicação obedece ao propósito de estimular o debate.

logo vaivoa

Discussion (0)