DEV Community

Ricardo Mello
Ricardo Mello

Posted on • Originally published at ricardo-mello.Medium on

Schematics: Criando um gerador de códigos com Angular — Parte 2

Schematics: Criando um gerador de códigos com Angular — Parte 2

Este post é o segundo de uma série sobre o Schematics, que aborda desde os conceitos até termos um gerador de código funcional. Leia o primeiro post aqui.

No post anterior nós aprendemos os principais conceitos do Schematics e criamos a nossa primeira Collection. Agora, vamos estruturar a nossa Collection e criar o nosso gerador.

Criando o Schema

O Schema contém os metadados com as opções que o schematic permite e/ou precisa para funcionar. Pra adicionar um Schema ao nosso schematic padrão, vamos criar o arquivo schema.json dentro da pasta my-schematics com o seguinte conteúdo:

Nele, nós definimos alguns atributos padrões, como o path, que é fornecido pelo CLI, e o atributo name, que será o nome do nosso módulo customizado.

Nós conseguimos obter o nome do módulo pelo flag --name e pelo argv[0] que é o primeiro argumento passado pro comando (ex.: ng g my-schematics hello). Caso nenhum nome seja passado, o x-prompt perguntará o nome do módulo. Lembrando que o nome está marcado como required, tornando ele um parâmetro obrigatório.

Esses parâmetros estarão disponíveis como atributos do no nosso objeto _options, que a gente usou no hello world.

Feito isso, vamos alterar o collection.json novamente para que ele referencie o nosso schema:

Definindo a Collection padrão

Lembra que eu disse que é legal estender a collection do Angular pra gente não precisar ficar passando o nome da nossa collection o tempo todo? Pra isso, Vamos adicionar a linha ["extends": "@schematics/angular"] ao arquivo collection.json. Ele vai ficar assim:

Depois, vamos adicionar a chave cli com a nossa collection no arquivo angular.json do projeto:

// angular.json
...  
  "cli": {
    "defaultCollection": "my-schematics"
  }
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Agora, você pode executar o seu schematic da mesma forma que executa os comandos do Angular!

Configurando o gerador

Vamos configurar a RuleFactory para gerar o nosso módulo conforme o template que ainda iremos definir. Para isso, substitua o conteúdo do arquivo index.ts pelo arquivo abaixo:

A nossa Rule pode ser resumida em três etapas:

  • Obtenção os dados do projeto a partir da configuração do workspace;
  • Montagem do path em que os arquivo serão criados;
  • Parse dos arquivos de template.

É necessário dar algumas voltas pra ter um schematic consistente e que funcione tanto dentro do projeto quanto a partir da raiz, assim como os schematics do próprio Angular. No final de tudo, o resultado é bem satisfatório.

Criando o Template

Nós podemos trabalhar de várias formas com o schematics. Seja executando os schematics padrão para gerar uma estrutura de módulo personalizada ou alterando arquivos da tree. Como estamos falando em geração de código, vamos gerar o nosso módulo via template.

Nosso template vai conter um módulo com dois componentes. O template do schematics não é nada diferente do que nós já estamos acostumados. A sintaxe lembra muito um cara old school chamado ASP.

Como já temos o nosso index.ts pronto pra compilar o nosso template, vamos ao trabalho!

Template do módulo

O primeiro arquivo a ser criado é o nosso módulo. Vamos criar uma pasta chamada files dentro do diretório do nosso schematics e nela o arquivo: __name@dasherize__.module.ts.template. Esse nome esquisito é necessário para que o parser gere o nome do arquivo utilizando a função dasherize que irá converter o atributo name para kebab-case.

No nosso template, nós utilizamos a função classify para converter o atributo name para PascalCase, e com isso gerar os nomes das classes dinamicamente.

Template dos componentes

No caso dos componentes, a lógica é a mesma. Você pode criar um ou vários componentes no mesmo diretório ou em pastas separadas que o schematics respeitará a sua estrutura. No nosso caso, vamos criar os dois componentes (list e form) no mesmo diretório do módulo:

E agora, José?

Vamos ver se esse treco todo funciona? Primeiro vamos rodar o npm run build do projeto my-schematics para compilar o projeto, navegar para o projeto my-project e ficar feliz porque agora é hora da verdade! Vamos executar o nosso gerador:

ng g my-schematics awesome
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

RODOOOUU!! Geramos um módulo com dois componentes básicos dentro do nosso projeto. Agora basta definir as suas rotas e testar os seus componentes que acabaram de sair do forno. OU, fica a lição de casa: adicionar as rotas ao seu template do schematics também.

Eu preferi padronizar tudo. Módulos, rotas, esqueletos de página e até mesmo os testes unitários foram adicionados ao template. Uma dica é: Crie um módulo completamente funcional do jeito que você quer padronizar e converta ele pra template somente quando estiver tudo pronto. Assim fica mais fácil de testar enquanto você está desenvolvendo.

Até a próxima!

Discussion (0)