DEV Community

Cover image for Como eu consegui meu primeiro trabalho em TI para fora do Brasil
Lutchenca Medeiros
Lutchenca Medeiros

Posted on

Como eu consegui meu primeiro trabalho em TI para fora do Brasil

Antes de qualquer coisa, eu queria começar esse texto com um grande disclaimer deixando claro que a área de TI é sim, hoje, muito valorizada, atraente, com ótimos salários e oportunidades de trabalho remoto em qualquer lugar do mundo, porém você sendo um iniciante, o processo para conquistar o que almeja (na grandiosidade que visualiza a longo prazo) vai ser complexo, difícil e muito provavelmente requerer habilidades específicas e malícia de mercado (muitas vezes não presentes em pessoas inexperientes e novas) que são conquistadas ao longo da sua carreira e com tempo.

Dito isso, o que a gente vive hoje no mercado de tecnologia é muito um contexto de sorte e desbalanceamento de oferta e demanda, então por mais que seja difícil um júnior arranjar um trampo pra fora, não é uma tarefa impossível, tanto que eu consegui e, levando em consideração minha experiência, eu vou compartilhar como aconteceu - mas tenha sempre em mente que a exceção não é a regra. Bora?

Image description

Eu tenho 25 anos e desde mais ou menos os 15 trabalhei com coisas relacionadas a marketing/audiovisual/design e afins, não necessariamente sendo remunerada para isso, mas porque eu curtia, o que fez com que eu definisse (aos 18) que iria cursar publicidade na faculdade e hoje sou formada pela UFRN - uma das maiores federais do Brasil. Por mais que estudar numa universidade não seja um definidor de sucesso ou de aprendizado, foi graças a entrar nesse curso superior que minha experiência de mercado começou a se expandir, assim como meu networking e paralelamente comecei a melhorar o meu inglês e portfólio. Meu background em marketing foi solidificado pois tive diversas experiências dentro e fora da minha graduação, nos mais diversos setores e segmentos e todos eles me ajudaram a aprender e desempenhar várias funções, mas as principais sempre foram: comunicação, planejamento, marketing pessoal e organização.

Obs: Eu falo sobre isso, pra deixar claro que eu não parti de um ponto zero na minha carreira na hora que decidi migrar pra TI. O meu currículo já contava com várias coisas e eu tinha como “provar” que eu era uma profissional capaz, com cases sólidos - inclusive acho bem mais fácil alguém que está em transição de carreira e tem experiência em outra área conseguir seu 1o trampo em TI, do que quem tá partindo do zero e começando como primeira experiência profissional geral, mas isso obviamente é só minha percepção enviesada.

Em um dado momento da minha história com publicidade eu decidi migrar de carreira (por motivos que não cabem aqui porque não é o foco do post) e TI surgiu no meu radar de possibilidades e objetivos. A partir do momento que eu decidi que eu iria entrar nessa área, eu comecei a criar todo um contexto para que empresas pudessem me achar e a única coisa que eu queria naquele momento era arranjar um trampo (não tinha um filtro de salários, empresas ou cargos). Meu objetivo era me inserir na área e quando estivesse sendo remunerada dentro dela, eu iria alinhar futuramente o que eu queria. Uma das minhas limitações era não poder aplicar para vagas de estágio, pois eu não estava, nem pretendia, cursar uma segunda graduação, então todo o meu foco foi para vagas de júnior e pra algo remoto, porque eu morava com pessoas do grupo de risco e não queria expor ninguém ao Covid.

De forma sucinta, o que eu fiz a partir de todo esse contexto, e levando em consideração o atual momento pandêmico do mundo foi:

  • Colocar todas as minhas redes de busca de trabalho em inglês, bem como meu portfólio.
  • Buscar fazer projetos que me dessem um direcionamento para a área de TI (no caso eu foquei em fazer coisas em HTML, CSS e Javascript) e postando à medida que ia aprendendo.
  • Aplicar para todas as vagas possíveis que eu me encaixasse minimamente, não só as vagas que eu “queria”.
  • Entrar em grupos, fazer networking e conhecer gente que estava no mesmo contexto que eu.
  • Bootcamps, cursos, tutoriais, tudo que estivesse ao meu alcance para adquirir conhecimento e me conectar com empresas.

Eu cheguei ao ponto de fazer uma planilha para anotar todos os meus processos seletivos (inclusive se você quiser utilizá-la faça uma cópia aqui: https://docs.google.com/spreadsheets/d/1dgZqGQVHRN2gjimXkA9fnOfMqx702HuYtuyl-sn0cwI/edit?usp=sharing) porque eram tantas vagas (e tantos “não” e falta de resposta) que requeria uma organização mínima para eu poder saber administrar.

Acho que justamente por ter um tempo de experiência e de mercado, eu sabia que uma hora ou outra eu iria conseguir meu primeiro emprego na área, principalmente porque eu estava me conduzindo e “me mostrando” profissionalmente (e se você não estiver fazendo isso, comece) e tendo plena consciência que poderia levar mais ou menos tempo, mas eu ia conseguir. Mas aí entra a outra variável da questão que é: o meu primeiro emprego foi justamente pra fora do país. Como eu consegui?

Depois de alguns meses fazendo todos os tópicos que eu citei, eu apliquei para uma vaga de desenvolvedor javascript júnior em uma plataforma de divulgação de vagas atrelada a UFRN; alguns dias depois um dos caras da empresa me mandou mensagem falando que viu meu currículo, pensou em outro cargo pra mim e perguntou se eu topava uma conversa. O desenrolar dessa conversa, em resumo, foi o meu processo seletivo pro cargo de Project Manager pra empresa da Holanda na qual estou atualmente. Eles basicamente tinham o pensamento de que não tinha sentido exigir conteúdo técnico e hard skills de um júnior, mas queriam explorar minhas soft skills e principalmente minha comunicação (em inglês) com o time e os clientes - e nessa última parte eu consegui atender bem a todos os requisitos. Eu queria me estender um pouco mais sobre como foi meu processo, mas foi realmente só isso, (sorte, talvez?) mas vejo que é bem comum rolar o mesmo com várias outras pessoas que conheço que trampam pra fora, então acho que entra também toda a questão de demanda mercadológica que já comentei anteriormente.

A dica que eu dou a você, principalmente se quer arranjar seu primeiro emprego em TI, é não focar tanto em uma vaga, cargo, empresa ou contexto específico e sim, foque em consolidar suas habilidades, seu portfólio e seu conhecimento geral e saber divulgar e vender isso pros outros. Caso você tenha vontade de trampar pra fora, inglês é mandatório e se você não tem segurança, comece a estudar isso paralelamente aos conhecimentos técnicos. Aplique para todas as vagas possíveis, utilize diversas plataformas e não só o linkedin, se comunique e tente se conectar com outras pessoas no mesmo contexto que você e principalmente: não desista! Porque não vai ser fácil, mas você só não vai conseguir se parar no meio do caminho. Uma hora a sorte encontra o esforço e desde já espero que você encontre o que busca. :)

Discussion (4)

Collapse
gabrielgomeso profile image
Gabriel Gomes de Oliveira

Muito bom esse post! Sempre bom ler a história de outras pessoas para ter um pouco mais de inspiração.

Collapse
luccaprado profile image
Lucca Prado

Muito animador! Ler sua história recarregou as esperanças aqui.

Collapse
lutchenca profile image
Lutchenca Medeiros Author

Ah, que legal de ouvir isso!!

Collapse
rfl_dias profile image
Rafael Dias

Estou em busca do primeiro emprego na área e ler isso me motivou muito. Obrigado por compartilhá-la conosco e muito sucesso!!