loading...

Quarentou: E agora?

dii_lua profile image Letícia Silva ・15 min read

Sim, você provavelmente deve ter lido 42 artigos diferentes sobre o tema, todos falando de ferramentas, fazendo propaganda de cadeira e de como devemos ser positivos nesse momento difícil. Me desculpem os entuasiastas, mas vim trazer fatos sobre a real situação das pessoas desenvolvedoras e do home office forçado.

Hoje é dia 11 de abril de 2020, véspera de páscoa. Eu estou há exatos 8 dias sem pôr os pés para fora de casa (quebrei a quarentena para ir a um velório) e preciso confessar que ando bem surtada. Não durmo direito há dias (isto é, quando consigo dormir), começo a ter crise de ansiedade quando vejo alguma notícia como "Bolsonaro irá exonerar Mandetta de seu mandato", e qualquer coisinha é motivo para entrar num looping de tristeza ou aflição.

Apesar de ter substituído as conversas presenciais por videoconferências, só de pensar que ficarei sem ver pessoas que amo por meses, sinto calafrios. Junto a isso, vejo quase todos os dias a notícia de alguma empresa que demitiu x funcionários, sendo grande parte deles da área de tecnologia. Eu tinha amigos (e também estava) desempregada antes da quarentena, e agora não sei até quando terei um emprego. Vejo colegas correndo contra o tempo, literalmente, para fazer inúmeros testes e conseguir emprego - porque, se antes não estava fácil, imagina agora né?!

Como é possível ter calma, ser alguém produtivo e pensar positivo quando parece que o mundo está, literalmente, desabando sobre a sua cabeça? Eu também não sei. Mas, vamos lá: nós podemos tentar juntos.


 Esse artigo está dividido em tópicos. Então se você quiser ir direto para algum, é só pesquisar por:    
    - Comunicação;
    - Planejamento;
    - Horários;
    - Tempo;
    - Estudos;
    - Organização;
    - Atividade Física;
    - Relacionamentos;
    - Saúde Mental;
    - Home Office.

Comunicação - será que ela sempre foi falha dessa maneira?

Perdi a quantidade de calls (conversas) que consegui ter num mesmo dia. Entre telefonemas, conversas por vídeo, emails e trocas de mensagens por WhatsApp, Telegram e Slack, ficou comprovado que boa parte das pessoas não consegue expressar/captar uma mensagem. Isso pode ter uma série de fatores, mas acho que o mais gritante é: por mais que nos comuniquemos utilizando palavras escritas (é dessa forma que a ideia desse texto está sendo passada, inclusive), não existe um cuidado em escrever de uma forma mais clara para quem vai receber o recado, e quem o recebe não costuma interpretar do melhor jeito também.

Isso comprova que precisamos melhorar muito nossa comunicação, e que saber separar nossa vida pessoal da profissional é de extrema importância - ainda mais quando você trabalha de casa e tem criança assistindo desenho, adolescente ouvindo música alta, ou alguém curtindo um jogo de futebol enquanto coloca a tv no máximo.

Minha dica é: leiam sobre Comunicação Não-violenta, do Marshall Rosenberg. Isso me ajudou a entender melhor minhas necessidades e as dos outros, e a criar conexões a partir disso.    

Planejamento - chegou o momento de entender como funcionam os planners, agendas, bullet journals e outros milhares de métodos para organização!

Sabe aquelas blogueiras que surgem no feed do Instagram com diversos cadernos de modelos diferentes, e que você nunca entende para que serve? Então, aquilo provavelmente se chama planner. Ele serve pra organizar, literalmente, todo o seu ano (como se fosse uma agenda, mas com alguns campos específicos). Sei que tem muita gente que não vê serventia nem na agenda, mas eu posso te garantir que: nessa quarentena, ela pode ser sua melhor amiga. Vamos entender o porquê.

"Um corpo inerte tende a permanecer inerte, a menos que uma força seja aplicada a ele". Como já dizia Newton em uma de suas leis, se você está parado, a tendência de continuar parado é muito maior do que você começar a trabalhar ou exercer alguma atividade. Quer ver um exemplo? Quando você está deitado e com muita preguiça, a sua vontade de começar alguma atividade é quase nula. A menos que alguma coisa te motive (ou você seja obrigado de alguma forma), não irá sair desse estado e tende a permanecer nele, a menos que algo te faça sair. E se você não sente vontade de sair da inércia mesmo com trabalho para fazer, precisa elaborar estratégias que te induzam a sair de um estado (parado) e ir para outro (movimento).

É aí que entra a agenda, planner, bullet journal ou seja lá o que você queira fazer como método de planejamento. Eles servem para você organizar o que precisa fazer durante o dia (como uma lista de tarefas) e, de certa forma, se incentivar também. Escrever o que precisa ser feito e deixar isso visível faz com que se crie uma lógica das atividades a serem cumpridas e cria um alerta no seu cérebro, de que existem coisas a serem cumpridas. Cada um funciona de uma forma, mas no fim todos possuem o mesmo objetivo (se você não quiser nenhum desses, pode usar o bloco de notas do computador ou celular, mesmo). O importante é deixar todas as atividades a vista, e no final do dia, marcar as que foram cumpridas.

O ser humano é movido a recompensas, isto é, ele faz uma determinada coisa interessado no que receberá em troca. Portanto, é importante anotar tudo o que deve ser feito e no fim, marcar o que você conseguiu cumprir. Isso cria um sensação de "dever cumprido" e faz com que, mesmo por uns instantes, você se sinta melhor de ter atingido um determinado objetivo.    

Dentre todos os métodos (já usei os três da lista), me encontrei no bullet journal. Se você quiser entender melhor como funciona, pode acessar aqui e aqui.


Horários - como explicar pro chefe (ou pro seu cérebro) que você não está na empresa, mas continua tendo vida e compromissos?

Tudo bem que não poder sair de casa limita boa parte das nossa lista de coisas pra fazer, mas isso não significa que, por estar ou tentar ficar 100% do tempo cumprindo a quarentena, você fique resumido a trabalhar.

Ter horários é muito importante - e acaba sendo uma das formas que encontramos de nos organizarmos para conseguir cumprir todas as tarefas num determinado período de tempo. Acontece que, há pessoas que não criam uma consciência em relação a isso, e acabam não definindo limites quando a pauta é trabalho, por exemplo.

- Estabeleça limites. Se deixar passar todas as vezes que alguém tentar fazer algo fora do expediente, isso vira hábito;

- Você está de quarentena, não de férias. Continue tentando manter seus horários, e não ache que por estar em casa pode ficar a toa num determinado dia, só porque não sente vontade de trabalhar nesse momento. A responsabilidade deve existir dos dois lados.
Isso também serve para evitar reuniões às 22:00 da noite e entregas aos finais de semana (criar consciência de que o trabalho continua sendo exercido tende a ajudar na imposição de limites);

- Mesmo trabalho, outro ambiente: não esqueça que, em casa, você provavelmente irá precisar fazer sua própria comida e preparar o café (ou o chá, chocolate, suco) que te mantém acordado ao longo do dia.

Tempo - o que fazer com isso que parecemos ter de sobra, mas não sabemos utilizar da melhor forma?

O que eu mais tenho visto é: centenas de iniciativas liberando seus conteúdos gratuitos por um determinado período de dias vs. pessoas comentando que não sabem o que fazer para se distrair nesse momento. É aí que fica claro o quanto estamos presos a alguns modelos de atividades - e que precisamos, mais que depressa, nos desvencilharmos deles.

Há diversas coisas que podem ser feitas agora, como: ler um livro, mudar os móveis do quarto de lugar, tocar aquele projeto que ficou parado por falta de tempo, desenhar, arriscar uns pratos na cozinha, aprender algo que você sempre quis mas nunca teve coragem (eu sempre quis tocar violão, por exemplo), pintar uma parte da casa, reformar aquelas madeiras paradas no quintal ou até aprender um idioma novo. Aqui, a imaginação não tem limite (e a quantidade de conteúdo disponibilizada gratuitamente, também não).

O site Quarentena Tech reúne uma série de conteúdos que estão sendo feitos especialmente para esse momento. No meu canal do Telegram, o Dados de Julieta, faço um compilado dos materiais que encontro disponíveis gratuitamente na internet (aqueles cursos que sempre posto no Twitter e uma galera curte, por exemplo). Você pode não querer (e nem precisa!) reinventar a roda, mas pode aproveitar esse tempo para investir naquilo ninguém consegue tirar de ti - o seu conhecimento!


Estudos - Como faz pra organizar as dezenas de asssuntos que queremos aprender?

De nada adianta você ter um milhão de coisas pra fazer, se não consegue colocar nenhuma delas em prática. Para isso, é necessário muito organização e disciplina para que não fiquemos perdidos e com vontade de fazer 30 coisas diferentes ao mesmo tempo.

Falando por mim, que vivo querendo aprender coisas novas o tempo todo, deixar coisas inacabadas pode ser um problema e causar desmotivação, além de bloqueios e traumas. Minha dica para você decidir por onde deve começar leva alguns fatores em consideração:

  • o tempo que você possui disponível;

  • sua motivação em aprender cada coisa;

  • o que você precisa aprimorar mais;

  • isso será utilizado agora na sua vida? Qual o nível de importância de aprender sobre um determinado assunto nesse momento?

E eu comecei a levar esses fatores em consideração depois que percebi que não tinha tanto tempo disponível assim. E que, por mais que eu tenha fome de aprendizado, preciso priorizar algumas coisas por questões pessoais, profissionais e/ou acadêmicas.

Muitas vezes ficamos empolgados em aprender demais sobre tópicos distintos, mas entender do que você realmente gosta e precisa saber para alcançar um determinado objetivo é importante - e manter o foco também.
De nada adianta inventar de abraçar o mundo e não ter braços o suficiente para agarrá-lo.

Organização - pra não deixar de cumprir o planejamento, fazer pequenas pausas no trabalho, tentar ser uma pessoa mais produtiva...

Você consegue produzir quando tudo está desorganizado? Repare, não estou falando de bagunça - é desorganização mesmo. O meu quarto, por exemplo, vivia bagunçado por eu sair demais e raramenre parar em casa. Isso não significa que ele não siga uma "ordem". Desorganizado seria se eu passasse horas tentando arrumá-lo, e não conseguisse devolver as coisas para o lugar.

Isso serve para o trabalho também. Se você não sabe o que precisa ser feito, não tem uma ordem de prioridade das atividades, perde o controle de quantas horas trabalhou por dia ou não sabe qual projeto tocar primeiro, acaba perdendo o foco rapidinho e tudo desanda.

Algumas ferramentas têm me ajudado muito, e vou contar um pouquinho delas aqui:

  • Pomodoro: é uma técnica que foi desenvolvida por Francesco Cirillo, na década de 80, e atualmente é super difundida entre os desenvolvedores. Consiste em uma maneira de administrar e otimizar o tempo, e propõe que durante um período de 25 minutos você fique focado numa atividade, faça uma pausa de 5 minutos, e a cada 4 blocos de 25 minutos, haja uma pausa de 30 minutos.
    O objetivo é desenvolver o foco e aumentar a produtividade, evitando perder a atenção no que está sendo feito.

    PS.: há diversas versões desse software gratuitas, tanto para computador quanto dispositivos móveis. É só escolher a que mais te agrada ;)

  • Trello: queridinha, essa ferramenta de gerenciamento de projetos se tornou super conhecida pela facilidade de aplicar a metodologia kanban e visualizar o que precisa ser feito.
    A parte legal é que você pode criar times, projetos e convidar quem quiser para fazer parte.

    Kanban é uma metodologia que foi desenvolvida pela Toyota na década de 60, e tinha o objetivo de utilizar cartões de sinalização para controlar os fluxos de produção, o estoque de materiais e assim provocar um equilíbrio entre ambas as partes.    
    O Kanban que conhecemos hoje foi inspirado no método da Toyota e desenvolvido em 2006, dentro da Corbis. Ele serve para gerenciar, melhorar e definir serviços que fornecem trabalho de conhecimento.    
    Consiste em utilizar um mural que é dividido em três partes, e colar cards (normalmente utilizam post-its) das atividades, que vão mudando de categoria conforme vão sendo feitas/finalizadas:    
    
    - TO DO;
    - DOING;
    - DONE.
    
    (traduzindo)
    
    - A FAZER;
    - FAZENDO;
    - FINALIZADO.   
    
  • Taiga: plataforma de gerenciamento de projetos de código aberto, que segue princípios do Scrum e Kanban. O Taiga é bem mais completo que o Trello, o que demanda um pouco mais de complexidade e tempo para entendê-lo, mas ainda assim é ideal para times ágeis.

    Se você é amante da metodologia ágil (ou não faz ideia do que seja isso), te recomendo ler o Manifesto Ágil.

    Agile é uma maneira de pensar, como uma filosofia. Se baseia em alguns pilares:     
    
    - Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas;
    
    - Software em funcionamento mais que documentação abrangente;
    
    - Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos;
    
    - Responder a mudanças mais que seguir um plano.  
    

Atividade Física - a academia pode estar fechada, mas o seu corpo tá bem aí, vivo, e precisando se movimentar.

Contar pra vocês: eu nunca senti tanta dor na coluna como nessas últimas semanas. Seja por estresse, passar muito tempo sentada ou não estar praticando atividade física regularmente, é muito fácil notar que nossa saúde (física e mental) tende a piorar com a enxurrada de coisas ruins que andam sendo noticiadas. Por isso devemos cuidar do nosso corpo também, e não só da mente.

Acredito que práticas como yoga e meditação se tornarão muito mais comuns durante e depois da quarentena, e tem uma explicação muito clara para isso: a yoga, uma ciência espiritual antiga, tem por objetivo unir corpo, mente e alma, buscando o equilíbrio de ambos. Nesse vídeo contém mais explicações.

Já a meditação é uma prática onde se utiliza de técnicas para focar a mente, buscando alcançar um estado de clareza mental e emocional. Você pode entender melhor como ela funciona aqui.

Inclusive, pra quem quer começar a praticar uma das técnicas, eu super indico o canal da Pri Leite. Conheci ele através de uma indicação da Thais sobre exercícios para a coluna (rá!), e lá tem diversos vídeos sobre yoga e meditação.

Há studios de dança e academias oferecendo aulas online para quem quer continuar se movimentando em casa. O Maravilhosas Corpo de Baile e o Studio Metrópole, por exemplo, tem aulas diárias, pacotes semanais e mensais.      

Contatos:

- Studio Metrópole

- Maravilhosas Corpo de Baile

(Dicas da linda da Iza - obrigada, amiga! <3)


Relacionamentos - assim como a comunicação, se relacionar com as pessoas é algo essencial para o ser humano (e nem sempre damos atenção a isso).

A live da Marília Mendonça fez muito sucesso e não foi por acaso. A quantidade de pessoas que estão sofrendo pela falta de contato humano (seja ele de âmbito amoroso ou não) é assustadora, e por isso mesmo é importante estreitarmos mais ainda nossos laços com as pessoas.

Seja ligando, mandando uma mensagem de texto, fazendo uma videochamada com os amigos ou combinando de assistir um filme a distância com alguém especial, não importa: é possível dar um jeitinho de ficar perto de quem se ama.

E se mesmo assim você anda se sentindo só, deixa eu te contar uma coisa - tá tudo bem. Eu também me sinto assim às vezes, e parece que nessa quarentena isso acabou sendo intensificado. Para ajudar, a galera dev criou um Slack do Webmasters, onde várias pessoas desenvolvedoras de diversas áreas diferentes da tecnologia se juntaram para, simplesmente, conversar! Tem canal de #fotos-de-comidas, #freelas, #duvidas sobre diversas linguagens e até um de #flertes. Ah, normalmente rola uma call pra conversar enquanto todo mundo trabalha ou só está a toa mesmo. Para fazer parte, é só entrar aqui.


Saúde mental - se a sua não está legal, de nada adianta você ter um emprego, relacionamento, amigos e família do seu lado.

Acho essa parte extremamente importante, por motivos de: depressão, ansiedade e burnout são romantizados com frequência, mesmo não sendo brincadeira. Só quem passa/já teve sabe como funciona, e entende o quão complicado é lidar com isso em momentos de angústia.

Nem todo mundo vem falando sobre, mas outra epidemia que pode eclodir nos próximos meses e devemos evitá-la. Ela possui caráter psíquico, e diversos fatores podem fazer com que ela seja desencadeada, ainda mais no momento que estamos vivendo: cheio de incertezas, instabilidade financeira, exaustão e crises existenciais.

Diversos locais têm disponibilizado atendimento psicológico gratuito e isso é super bacana para quem não possui condições financeiras de pagar pelas consultas. No link abaixo há um compilado de iniciativas para ajudar nesse momento difícil.     

Para saber sobre as iniciativas gratuitas, clique aqui.

É importante que tenhamos consciência e preparemos nossas mentes para o que está por vir. A forma como agimos em relação ao que está acontecendo diz muito sobre o nosso estado atual - e também sobre as pessoas que estão ao nosso redor. Cada atitude sua pode melhorar ou piorar esse cenário.

Espalhar fake news por aí, sair de casa sem realmente precisar, não tomar o mínimo de cuidado ao ter contato com outras pessoas, visitar quem é do grupo de risco, e compartilhar a todo momento notícias sobre o COVID-19 só deixa o clima mais pesado e ajuda em nada quem está tentando sobreviver psicologicamente a essa enxurrada de situações. É óbvio que grande parte da sociedade se preocupa e se afeta, mas há pessoas que tem isso potencializado, e deve tomar um cuidado extra com elas.

Estamos sim todos expostos, o que não desmerece o fato de você poder minimizar a quantidade de coisas negativas que compartilha e evitar que outras pessoas sejam afetadas por isso.


Home office - como faz pra transformar quarto/cozinha/sala em um ambiente de trabalho?

O que eu mais vi na primeira semana de quarentena foi dev postando foto do ambiente de trabalho "improvisado". Pra quem já trabalhava remoto e tinha esse espaço montado foi mais tranquilo, mas para uma boa parte da galera não é. E mesmo que para algumas pessoas seja só comprar um segundo monitor, uma cadeira, mouse e teclado gamer, junto de um fone de qualidade, é preciso ter dinheiro para fazer tudo isso. E bom, grana tem sido um tópico de extrema importância nesse momento. Nós estamos em crise e, ao que tudo indica, iremos passar por uma recessão, então pensar bem antes de adquirir um produto é importante.

Os dois itens mais importantes para mim num home office, além do computador, são cadeira e mesa. E eu explico o motivo: se você trabalha da sua cama, por exemplo, faz com que o seu cérebro entenda que aquele ambiente de descanso está sendo usado para fazer atividades do serviço, e como ele está acostumado a adquirir a primeira atividade citada para esse objeto (descansar, no caso) é muito fácil que você parta de um estado de produção para inércia muito rapidamente. Fora que, a sua postura vai embora e a dor na coluna vem com força. Pensando nisso, trabalhar da mesa da cozinha ou montar uma mesa improvisada com cavaletes e madeira pode ser uma boa ideia. Já a cadeira é um dos itens que considero mais importantes de ser comprado: ela vai suportar a estrutura do seu corpo por, no mínimo, 8 horas/dia. Sei que há pessoas que não possuem condições de adquirir uma e está tudo bem, mas se você puder, invista. Se for de boa qualidade ela pode durar entre três e cinco anos, aproximadamente. De quebra, ainda evita lesões e sessões de fisioterapia.

Acho que o maior problema de trabalhar de casa é a consciência. Tanto a sua, quanto a de quem mora com você. Eu trabalho remoto há alguns meses, e até hoje minha família não entende muito bem isso, mas já melhorou um pouco. Antes haviam participações deles em todas as calls, interrupções ao longo do dia e atribuições de tarefas a mim, como se eu estivesse a toa em casa. É claro que isso acontece ainda, mas já evoluiu muito. E para evoluir, não tem receita: é conversar e agir. Se queremos mudar algo, isso precisa partir de nós, certo? Foi assim que consegui mudar um pouco da situação aqui.


Primeiramente, se você chegou até aqui, eu gostaria de te agradecer. Não foi fácil escrever boa parte disso (inclusive porque alguns pontos tem me afetado muito, como o sono e ser atingida pelas notícias), e foi um desafio pra mim colocar diversas coisas que têm passado pela minha cabeça nesses últimos dias.

Espero de coração que isso te ajude. Eu poderia ser extremamente motivadora, dizer que vai ficar tudo bem e logo logo isso vai passar, mas nem eu ou você conseguimos ter essa certeza. O que eu posso te falar é: estamos todos nessa, juntos. Se tem algo que essa epidemia veio mostrar é que no fim não há distinção de cor, raça, sexo ou classe, e que todos estamos sujeitos a passar pela mesma situação.

Então, sintam-se abraçados (é só pra sentir mesmo viu, abraço só depois do fim da quarentena), renovem as suas forças, e independente do que vocês acreditem, tenham fé. Seja em Deus, na ciência, no cosmos, não importa: apenas acendam sua chama de esperança e não deixem que ela cesse, por mais difícil que isso seja.

E se você gostou, não curtiu, tem sugestões de melhoras ou gostaria de acrescentar algo, bora conversar! Estou sempre aberta a ouvir.

Saudações ✋,

<3

Discussion

pic
Editor guide
Collapse
mari_dff profile image
Mariana Ferreira

Oie, adorei o texto!
O link pro slack expirou :( o grupo ainda existe?