DEV Community 👩‍💻👨‍💻

Programador Sincero
Programador Sincero

Posted on

Trabalhe para fora em 2021

Quem já tem uma boa experiência na área de programação, em 2021, tem chances muito maiores de conseguir um bom emprego, ganhando em moeda estrangeira e com atividades que exijam menor responsabilidade e tempo diário. 

Um programador de alta qualidade técnica, se estiver ainda na área técnica, estará vivenciando os cenários abaixo, que são bem ruins e praticamente eram o destino no nosso mercado antes da pandemia. Eu levantei alguns pontos interessantes abaixo. Segue o fio:

  • Seu perfil no LinkedIn, quando bem preenchido e cheio de boas experiências, atrai inúmeras consultorias do Brasil. Se o seu perfil está preenchido em Inglês, melhor ainda - o mercado internacional de software está de braços abertos para você. Espera-se que você esteja recebendo muitos convites diários para processos seletivos.

  • Se você não está trazendo pelo menos 20 mil LÍQUIDOS mensalmente, você está fazendo algo errado. Reveja sua estratégia. Eu pessoalmente trago muito mais que isso.

  • Essa é uma das primeiras épocas onde é possível ganhar um bom dinheiro sem ter responsabilidade proporcional, mantendo-se estritamente técnico. Porém, ser um técnico altamente remunerado tem um custo: quanto mais foda e quanto maior é o salário, maior nível técnico é esperado. Então, é preciso estar antenado com tudo: como fazer DevOps, como trabalhar com a nuvem, como estruturar o melhor o front-end, como deixar as coisas menos síncronas usando filas e outras merdas da vida, isso sem falar nas inúmeras formas de salvar dados e acessar dados de forma simples e barata.

  • Em geral, se você for o mais pica da sua empresa, terá o privilégio de ser o único filho da puta a dirigir o caminhão de amônia em chamas. Ninguém vai te chamar para fazer uma deliciosa tela em React ou Nextjs a partir de um belo design feito em Figma. Esse tipo de trampo é uma commodity. É trampo de juninho. Um dev foda vai ter que resolver problemas bem mais complexos. Por exemplo, terá que ajudar a decidir como migrar a app para nuvem, terá que pensar em como a app será distribuída geograficamente, terá que pensar em observabilidade mais profundamente, terá que pensar em GDPR, terá que ajudar os arquitetos em PoCs complexas (ex: como lidar com certificados no kubernetes, como lidar com mensagens perdidas / órfãs no Kafka, etc.). Isso sem falar em jobs insuportavelmente chatos como interop e p/invoke, multi-threading com Futures, async e o caralho, comunicação com dispositivos restritos, merdas difíceis e nativas no celular… Não é uma vida exatamente fácil. Ah, e tudo tem prazo mais ou menos igual, embora lá fora eles assumam que certas funcionalidades podem demandar um tempo específico de pesquisa.

  • Um cara sênior de verdade viu muitos quilômetros de logs. Vocês que estão chegando deverão se acostumar a criar sistemas que gerem bons logs/telemetria e observabilidade deverá ser parte contínua do trabalho de vocês, já que daqui pra frente tudo na na merda da nuvem. Observabilidade e performance não são opcionais. Grepar logs, usar regex pra processar e extrair logs, ser rápido pra encontrar causa raiz, entender dump de memória - tudo isso pode ser necessário de vez em quando. Portanto, conhecimento em suporte também te faz ser muito foda na área e te torna uma peça chave para dirigir caminhões em chama com gás fenol.
    Como vocês podem imaginar, ser um consultor caro e foda exige também participação em discussões técnicas avançadas e potencialmente, experiência com arquitetura de software e de sistemas. Estudem essas merdas.

  • Muitas vezes, você estará em um time sem arquiteto específico, e você será o acting-architect. Foda. Eventualmente maior responsa por um tempo. Eventualmente, maior responsa forever and ever. Terá que apresentar coisas técnicas em eventos da empresa, terá que participar de hackatons, terá que criar uma PoC que sustente alguma coisa nova que você precise que o time use e principalmente, será a referência profissional de muita gente boa e nova que está chegando. Infelizmente é inevitável liderar pelo bom exemplo. E claro, ao tutorar o time em discussões internas, você acabará passando muito de suas experiências de vida, de campo e de outras batalhas. E isso é o que há de mais valioso para o crescimento do time e dos seus liderados/pares.
    Você terá que apresentar o design de suas soluções para que outros times entendam e apliquem. E terão que justificar o motivo de tal coisa técnica não ter sido usada/implementada quando algo der errado em produção. Pode ser necessário lidar com back-fire corporativo de chefes filhos da puta, isso sem falar em pares/subordinados que na hora H sempre dizem coisas como "nós avisamos que isso ia acontecer e nada foi feito". Mas esse filho da puta nunca avisa da forma correta. Nunca se empenha em tentar realmente evitar alguma cagada de antemão. Às vezes parece que certos caras querem te ver errar o pênalti de propósito para depois falar "é, do jeito que ele correu, ele cantou a bola pro goleiro mesmo. Tava na cara". Foda. Saber ouvir, saber se defender e saber ter base para as decisões é tão importante quanto decidir corretamente a tempo. 

  • Pode ser que seja forçado a escolher entre times e projetos mais prósperos, que possam a vir a dar resultados e lucros maiores. Embora não seja legal, muitas vezes para ganhar mais importância e visibilidade na empresa é necessário estratégia e visão. Entender o que os times fazem é bem importante e faz parte de um cara ser bom - um cara de alto nível sempre tenta atuar onde seu impacto é mais global. Foda-se aquele componente de relatório - o que importa é estar no código que processa milhares ou milhões de mensagens por dia. O dinheiro, bônus, PLR, importância e visibilidade está geralmente onde a empresa gera faturamento, onde entrega e onde evita problemas. Coisas invisíveis ou difíceis de explicar para não técnicos em geral não são lucrativas. Ninguém liga para a engenharia tapete do chão do avião. Mas todo mundo liga para o motor, para os diversos sistemas de controle. 

  • Ao entrar profundamente no desenvolvimento de funcionalidades, você notará desde o começo da carreira que muitas vezes o que está desenhado é uma merda pro cliente. Uma completa bosta. Um designer provavelmente não terá conhecimento das regras de negócio. Em geral, os Product Owners são uns fracassados de merda com pós graduação e altos salários e os Scrum Masters (ex-devs/testers fracassados e inúteis) não servem pra nada que não seja controlar o ritmo das entregas e levar políticas de escritório para a gestão superior. Sim! Muito SM presta mais como informante do que como scrum master. Na hora em que realmente é preciso pensar no produto, criar, melhorar, evoluir, esses filhos da puta de merda não servem pra nada. No máximo, influenciam o backlog de acordo com o que o arrombado de um cliente analfabeto pede. Entretanto, o cliente, PO e SM não sabem realmente o que é necessário. Com diversos projetos na carreira, experiências e coisas rodando no ar, nós sim sabemos e podemos SIM opinar e influenciar diretamente na implementação de funcionalidades que são tocadas pelo usuário final. Portanto, um cara pica também tem essa incumbência: não deixar a empresa fazer merda com o dinheiro e tempo e tentar consertar o rumo do backlog quando aplicável e possível. E como podem adivinhar, nunca é possível! :) ;

  • Indo nesse sentido, times de profissionais bons geralmente têm à disposição uma boa forma de geração de dados de usabilidade. Se tiverem um ambiente saudável e propício para experimentação, tentem criar experimentos. Criem testes A/B. Levantem dados. Saiam da frente do computador. Tentem ver quais são os sentimentos dos usuários finais ao tocarem o seu software. Isso era mais forte antes da pandemia. Mas pensem em outras formas de validarem isso. Não se restrinjam ao opinionismo sem dados de falsos POs. Tá cheio de PO que ou não sabe nada e pergunta tudo pra todo mundo ou então, fdp que se acha o novo steve jobs e manda fazer merdas aleatórias no software, claro, às custas do nosso esforço, tempo, horas-extra gratuitas;

Entendam. Atuar, como um especialista ou sênior foda, é bem chato na maior parte dos casos. Nas empresas grandes, pegam esse tipo especial de sujeito-de-sorte para no fim, dar trampo de corno / atividades estúpidas e bem abaixo da capacidade técnica do dev. É bem comum ouvir de vários trouxas que trabalharam no google, microsoft, facebook e tal que as atividades eram bem merdas e que o ambiente interno não era dos melhores, mas os salários e benefícios até que eram bons. Entretanto, quando se chega numa fase da vida, o chato mesmo é ficar sem ter como dar escola boa de verdade pros filhos, andar em carro com banco duro e com embreagem barulhenta, morar em casa com vizinho que ouve funk e sertanejo alto até 2:00 da manhã do seu sagrado domingo de descanso ou então, ir no supermercado sozinho para evitar o pede-pede dos filhos. Outra coisa chata é aguentar a esposa pedindo pra sair e gastar dinheiro nos passeios com a família e você entrar no cheque especial pra não ter que admitir que é um trouxa sem grana, um merda-fracassado-na-casa dos 40 esperando a promoção pra tech lead sair e então ganhar mais bônus. É o passa-cartão, é o paga-pedágio, é o pede-comida, é o pode-incluir-os-10% que vão te fodendo e te afundando em tristeza. Sem grana, sem planos, esperando, esperando, esperando. E a conta bancária? Sempre na mesma. E parece que você tá fazendo tudo certo! Certificações, eventualmente uma pós-graduação inútil, alguns cursos… investe a sua grana e é trouxa pra cair no discurso do super CDB de 100% do CDI, espera, espera e os cabelos começam a cair. Um verdadeiro trouxa, esperando para correr a trás da próxima cenoura: https://www.youtube.com/watch?v=ucbISPe5Meg

E nunca nada acontece nas empresas do Brasil. Sempre tem um filho da putinha mais jovem e motivando querendo liderar e você, um cara velho e muito experiente tecnicamente, nunca chega lá. Nunca é reconhecido. Ou melhor, é sempre reconhecido como aquele cara que dirige os caminhões em chama, mas nunca é visto como um cara que pode gerenciar uma equipe de motoristas de caminhões em chama! E o que resta é ver o tempo passar, ver cada vez mais reuniões inúteis, opções para mudar de emprego mais uma vez e sempre o mais do mesmo. Trampos difíceis, chatos e que só caras pica podem fazer. Um saco. E na hora do review para a promoção a Spec II ou Spec III? Hummm… ainda você não tá pronto. Você entregou tudo, participou bem de todos os projetos, fez o que tinha que fazer…. mas ainda faltam muitas cenouras aqui. São vários "precisa de", "tem que", "mudar isso". Aí te jogam pra outro mentor arrombado, e lá se vai mais um ano. A grana entra, bônus entra e você continua ainda morando naquela merda de casa de rua onde invariavelmente passa busão 5 da manhã. E a pergunta a cada dia fica mais latente antes de dormir: será que eu serei Spec II ou Staff Engineer algum dia? O que tem de errado comigo? Sobreviverei ao próximo corte? Será que devo focar em carreira gerencial mesmo? Talvez nada disso dê certo e descubram que eu realmente sou bosta mesmo, um impostor. Foda. (na verdade não é não - vc é tratado como trouxa de propósito só pra vc ficar de boa no seu lugar - não aceite este lugar que te deram).

Há uma época da vida é em que é preciso tomar decisões focadas unicamente na grana. As aventuras e o prazer de se trabalhar no que gosta acabam tendo que ficar em segundo plano. Se você está no ramo há mais de 10 anos, agora é o momento mais fácil para lucrar com trabalho na área de desenvolvimento. Com tantas opções pagando em USD ou EURO, não há porque se submeter aos empregos de merda do Brasil, que em geral pagam pouco e exploram muito. Se é pra pra ser uma putinha de empresa, que seja pra ganhar uma boa grana. Não caiam nesse discurso de LinkedIn sobre como ser um bom líder, sobre como ser um bom chefe e toda essa cagação de regra de gente triste e ressentida que te força a ter vontade de ser um bom chefe um dia. Sim, você pode sim aprender e ser um bom líder, mas o que mais interessa é o DINHEIRO HOJE e não FUNÇÕES/CARGOS AMANHÃ. Se for o caso, deixe de ser coordenador de onde está, deixe de ser gerente e se possível, volte para a área técnica. É possível ser um simples programador de qualidade e ganhar uma grana muito alta, sem precisar esperar promoção, sem precisar esperar por reconhecimento e por nada - só passar nas entrevistas e mandar ver. Você pode até querer mudar o mundo, se esforçar pra caralho, ser um ótimo tech lead e eventualmente um grande engineering manager. Tomara, até torço por você! Eu mesmo quero ser um algum dia! Quero que todo mundo vá no meu enterro! Mas coloque um prazo. Uma meta. Algo como "quero estar ganhando 25k em Dezembro de 2022, não importa como". E siga só essa meta. A grana importa bem mais que cargo nesse momento pré-riqueza, pré-independência financeira.

Sugiro que você mande à merda as super vagas fantásticas de empresas brasileiras. Salvo raríssimas exceções, a grande parte das empresas daqui são feitas por caras exploradores que não se importam com o bem-estar dos funcionários e buscam apenas aumentar os lucros e rendimentos. E isso passa necessariamente por economizar com o seu salário e seus benefícios. Além disso, o mundo corporativo está cheio de psicopatas, sociopatas e narcisistas, e você, com todo o seu trabalho, pode estar sendo apenas uma peça no joguinho de poder de gente grande. Pode ser que você seja só visto como um carro bom no estacionamento. Pode ser que você seja só visto como um bispo no tabuleiro de xadrez. Talvez você nunca seja alçado a posições de liderança e altos salários. Ou talvez até aconteça, mas você pode falhar nos jogos de poder nesse nível ao perceber boicotes sutis como falta de colaboração para suas iniciativas e falta de engajamento que possa ajudar no seu report anual. Ao ser gerente/líder, você terá que lidar com uma coisa legal, que é exercer liderança e conseguir tempo de pessoas que não são subordinadas diretas. Pode ser necessário implorar por agenda, por reuniões e isso ser visto como algo que não é lucrativo para quem você pede. Por exemplo, você como tech lead pode precisar guerrear para rever a estratégia de multi-tenancy do produto, o que claramente é um atraso de backlog e não é do interesse de ninguém exceto do produto/cliente final/sobrevivência da empresa a longo prazo. Pode ser que você tenha que escalar nessa guerra corporativa e pode ser que você tenha que comprar briga com muita gente para fazer o correto, inclusive, com seus gerentes diretos! Eu particularmente já me vi no meio dessa encrenca, onde eu precisava consertar a linha de produção e tinha que entregar o dobro da produção no mesmo mês. Eu tinha 2 chefes pedindo coisas urgentes o tempo todo e claro, coisas com interesses divergentes. E eu tinha que agir como firewall do time. Uma verdadeira situação cocô. Não digo que o mundo lá fora seja melhor ou pior, mas por enquanto, é possível ganhar bem mais do que aqui para se foder da mesma forma, como dev e como lead.

Socialmente falando, gostaria de colocar também alguns pontos que me fazem ficar bem ressabiado ao trabalhar para o sustento de elites nocivas ao Brasil, país que tanto amo. Eu pude validar de perto como é triste para uma pessoa fora da área de TI procurar emprego. As empresas brasileiras são tóxicas neste aspecto: quando as vagas são de TI, há um tratamento muito melhor e em geral, há respeito do RH; quando as vagas são operacionais, os turnos em geral são absurdamente longos, os salários são ridículos e as condições em geral são insalubres. E claro, com um desemprego tão alto, os caras do topo da pirâmide deitam e rolam com os funcionários menos qualificados. E os poucos que estão trabalhando se submetem aos desmandos dos empresários, porque afinal, precisam agradecer por terem um emprego ainda. 

Desde o Golpe de 2016, nunca foi objetivo de governo diminuir o desemprego e dar condições sociais melhores para a maior parte possível da população. Eu e vários conhecidos ouviram coisas como: " Imagina só! Filho da puta da classe C escolhendo emprego e consumindo o mesmo lugar que nossos filhos? Favelado pegando avião e comendo com a boca aberta do meu lado? Minha filha estudando com filho de porteiro? Minha filha dando pra filho de pedreiro! Isso tem que parar!" E assim foi feito. A elite tirou o PT justamente por que isso estava acontecendo, usando como pano de fundo a questão da lei e ordem, dos bons costumes e do fim da corrupção estatal (ninguém se importa com a corrupção privada, com sonegar impostos usando CNAE errado no Simples e etc.). Anteriormente, nos governos do PT, gente que se submetia a trabalhos nojentos acabou tendo novas chances, incomodando brutalmente as elites. Eu pessoalmente vi também o outro lado da moeda - mina da classe C dizendo que não iria estudar pra ganhar 2000 de salário. Enfim, de toda maneira, todo o trabalho então foi feito para voltar as coisas à "normalidade" e claro, a pandemia ajudou nesse aspecto. Quem estava com alguma condição boa antes da crise voltou à estaca zero, entregando comida de moto humildemente, sendo uber ou mesmo, empregada doméstica a limpar novamente, banheiros de filhos da puta inúteis. Ou então, voltou a trabalhar de pé no shopping, tendo que sorrir até 22h enquanto troca a merda da película do celular ou dobra a merda de roupa que foi experimentada de novo e não serviu (roupa G da china é P no BR). E se for ver com os olhos sem lentes da verdade, nunca foi de interesse real a redução do desemprego a melhora geral da qualidade de vida da população. Vejam mais detalhes neste excelente texto: https://outraspalavras.net/trabalhoeprecariado/mp-1045-a-nova-e-sorrateira-reforma-trabalhista/. No texto, podemos ver que as reformas recentes na verdade foram formas de baratear os custos trabalhistas, não necessariamente, gerando novos empregos. E ainda há muitos trouxas que apoiam esse tipo de coisa. Inclusive, o texto sustenta que a manutenção de altas taxas de desemprego ajuda na pressão salarial.

O que quero dizer com tudo isso? Quero dizer que nós, programadores, somos pedra fundamental para que novos projetos possam acontecer no Brasil e somos agentes econômicos fundamentais em um mundo onde quase todas as empresas precisam de uma área de TI forte para existir e sobreviver. Entretanto, ao dar nossa força de trabalho para empresas brasileiras que exploram pessoas descaradamente, na minha humilde, revoltosa e enviesada opinião, estamos trabalhando para o continuísmo do que há de pior, que é a exploração do trabalho em prol de agentes que buscam o lucro sem qualquer tipo de retribuição para a sociedade. Eu pessoalmente me incomodo muito ao ver que o RH se joga aos pés de gente de IT e trata pessoas normais como lixo, fazendo-as passar por intermináveis processos seletivos, humilhando-as até não poder mais. Também me incomodo muito com essa relação de comando e controle colonialista que existe por aqui. Trabalhar para esse tipo de gente é meio foda, ainda mais quando estamos em necessidade financeira.

Todo mundo sabe que o trabalho remoto na pandemia deu super certo, embora isso tenha gerado uma onde de choque na percepção de qualidade de vida dos funcionários e um medo muito grande na gestão, que não pôde mais controlar direito o tempo dos funcionários ou observar cuidadosamente as redes internas de conversas e fofocas. Funcionários felizes, trabalhando e entregando sem comando e controle abalou toda a lógica sobre a real necessidade de gerentes. Para segurar os empregos, os gestores estão buscando novos motivos para trazer as pessoas de volta aos escritórios. Um motivo bem comum na área de TI é a ausência de inovação e disseminação de cultura. Embora eu concorde com os motivos, não vejo isso como justificativa clara para fazer eu trabalhar todos os dias presencialmente, pegando trânsito arrombado e tendo que sair correndo pra levar e trazer filhos da escola e academia, cursos e tal. Por último, claro, ainda temos sociopatas corporativos famintos para voltarem a fazer seus jogos de cena. Onde vão expor as roupas novas? Seus carros? Seu charme? Suas apresentações fantásticas nas reuniões? Como vão fazer todo o teatro? Como que vão conseguir convencer a todos sobre sua suposta utilidade para a empresa? A volta do trabalho presencial é essencialmente um volta à estrutura de comando-e-controle tradicional e trata-se de um grande retrocesso para as mentes que simplesmente querem trabalhar com qualidade por um salário de qualidade e com uma vida de qualidade. Trabalhar no Brasil significa uma grande chance de voltar ao presencial em 2022. Não sejam tolos. Ninguém vai ficar remoto pra sempre aqui. Só o farão se for muito necessário e se ninguém mais se curvar a isso. Mas nunca é o caso. Repito: não caiam nessa de trabalho presencial sem que isso seja da sua plena vontade e seja altamente opcional. Você que pode escolher, deve considerar morar em qualquer lugar decente, pacífico e barato do Brasil.

Se nada mudar nesse pós-pandemia, vamos continuar na mesma: caras de TI se virando bem, gente sem aptidão vendo na TI como uma fonte de ouro, gente sendo humilhada por ser do administrativo (e ganhando R$ 2000 por 44 horas semanais no extremo melhor dos casos!), e vai continuar tudo como está. E mesmo nós de TI continuaremos a ser currados todos os dias por fdps que fazem pós-graduação chique, mas nunca entregaram uma linha de código em produção. Isso tem que mudar. Lá fora a qualificação da liderança em geral é muito melhor, assim como nível técnico, já que países com moedas mais fortes conseguem escolher as melhores pessoas e conseguem atrair grandes mentes qualificadas e incrivelmente, muito mais pessoas do bem do que vemos comumente no Brasil! Ao experimentar atuar remoto para fora ou mesmo, se mudar para outro país, há muitas chances de uma melhora exponencial de qualidade de vida sem precisar dar muito mais em troca em termos horas e esforço diário. Isso não tem preço. Pensem nisso e me falem o que acham :)

Portanto, para fechar, seja foda e tenha um plano:

  1. Escolha o que você realmente quer de bens materiais e objetivos pessoais. Escreva em vários post-its. Coloque eles seu quarto e no seu banheiro. Veja e reveja seus objetivos todos os dias. Coloque uma meta clara de quanto dinheiro mensal você quer por mês e coloque um prazo. Uma ideia de meta você considere ganhar seu salário atual em 6 a 8 meses no ano que vem. Coloque essa meta clara no post-it onde você dorme e onde vc caga. Você tem que escovar os dentes todos os dias vendo a sua meta. Uma meta simples. Clara. Objetiva. Atingível. Mensurável.
  2. Trace um plano de estudos técnicos com datas e prazos. Invista em materiais que precisar investir, em livros, cursos e mesmo, avalie oportunidades de cursos presenciais sim.
  3. Invista fortemente em inglês. Fortemente é agir com seriedade. Comprometimento. Não falte nas aulas. Faça os exercícios com alto rigor. Treine sua memória decorando e recitando textos em inglês. Esta técnica é fortemente recomendada para quem precisa aprender logo a falar. 
  4. Estude em sites como pluralsight e udemy com material EM INGLÊS. Estude com a legenda em inglês. Em pouco tempo você notará que consegue absorver em 1.25x e depois, em 1.75x/2.0x. Ao negociar, não seja otário. Muitos fdps estrangeiros já descobriram a mina de ouro de programadores brasileiros bons e baratos e estão tentando contratar caras bons por 4k ou 5k USD mensais. Provavelmente vocês conseguirão bem mais, mas pode ser que inicialmente começar com essa grana ajude na autoestima e na prática do inglês - nem sempre nosso salário é pago em dinheiro. Pode ser que tenhamos vários outros ganhos como ter um histórico de projeto internacional, boas entregas, bons reviews no nosso perfil e muito mais. Tudo conta. A regra do sucesso é: "pague o preço antes de colher os lucros".
  5. Infelizmente algumas empresa usam um processo chato de entrevistas com testes. E de certa forma, estes testes são bem bons para ajudar você a evoluir como programador, ainda mais se você é mais um arrombado na nossa área que não teve a decência de fazer um curso superior. Para melhorar, invista tempo no leetcode, hackerrank e outros do tipo. Tem uma boa trilha, Project Euler, que ajuda a evoluir bem. Mas tem também vários desafios legais em outras trilhas. Na verdade, não são legais, mas são bem importantes.

  6. Compre o livro Cracking the Code Interview. Meu amigo comprou e passou nas provas e processos seletivos todos. Hoje ele manja de complexidade de tempo e espaço, de algoritmos até pra arrumar mulher e tudo mais. Eu comprei o livro mas ainda não o abri, porque eu acabei tendo sorte de fazer entrevistas mais teóricas (e acho que até bem complexas ao meu ver).

  7. Existe uma técnica secreta que é anotar em um diário um caderno afirmações como "hoje eu estou cada vez mais próximo do objetivo xpto", "eu me vejo trabalhando em um projeto X nas condições A, B e C"e por aí vai. O poder de coisas escritas acabam impressionando nosso cérebro e acabam nos empurrando para fazer as coisas. Algumas pessoas também colocam o que querem que aconteça em suas vidas pessoais. Para mim funcionou essa técnica e meus resultados melhoram sensivelmente nos últimos 24 meses. 

  8. Evite contar publicamente sobre seus planos e ideias. Se você fizer isso antes, vai dar tudo errado. Não sei exatamente o motivo, mas é o que tem acontecido com muita gente que conheço. Isso é especialmente importante ao usar redes sociais.

Além dos passos acima, pense nas seguintes coisas aleatórias que consegui lembrar pra ajudar você, tiradas diretamente da minha experiência pessoal:

  • Tudo tem seu tempo e tudo vai acontecer na hora certa. Não se condene por demorar a ter seus resultados planejados. Eu demorei uns bons anos até conseguir a minha primeira proposta formal de emprego na Europa - em 2016 eu consegui chegar até o fim do meu primeiro processo seletivo internacional. Depois disso, até hoje, eu participei de vários processos seletivos no Brasil e no exterior e fui aprovado e reprovado em inúmeros. As reprovações doeram muito. Mas com o tempo, eu me acostumei a falar melhor, a aceitar melhor as falhas, a entender meus pontos fracos e segui a vida. Se demorar para encontrar, não importa. O que importa mesmo é você estar vivo, com saúde e com comida na mesa. E claro, continua sendo um absurdo privilégio ter um banheiro limpo para você cagar, tomar aquele banhão quente gostoso e ter aquela cama macia para você dormir :)
  • Cuide bem da sua saúde mental. Os fdps vão pressionar por features mais rápidas, por metodologias que nos fazem trabalhar o tempo todo e tudo mais. Foda-se se você não entregar, foda-se se der erro em produção e foda-se o cliente sofrendo. O que importa é você estar vivo, com saúde e com comida na mesa. Na situação atual, quase ninguém tem culhão pra mandar embora por baixo número de itens entregues. Pode acontecer de não chegar a promoção ou aumento, mas foda-se. 
  • Responsabilidade é uma coisa séria e que precisa ser absurdamente remunerada. Se você tem um time e precisa garantir a entrega dessas pessoas, assegure que o tempo e energia que você gasta com estas atividades são de fato justas financeiramente. Eu acho mancada dar um cargo de coordenação sem estarmos falando de um Total Comp de uns R$ 250.000 a R$ 300.000 anuais. Por isso que acho que trabalhar como um simples dev pra fora, sem grandes responsabilidades e sem vender muitas horas-extra na faixa é interessante financeiramente. No Brasil, para ganhar essa grana, é preciso trabalhar umas 12 horas diárias ou mais. Nunca ouvi falar de alguém que ganha isso por "apenas" 8 horas diárias. Inclusive, a gestão arrombada adora dizer que quem faz 8 horas é peão. Pois bem, prefiro ser peão e fazer 7 horas diárias por dia por esse dinheiro.
  • Divirta-se o máximo que puder. Transe gostoso. Não deixe de fazer um sexo oral e não deixe de beijar na boca. O tempo passa e às vezes isso acaba ficando de lado por causa das inúmeras obrigações diárias e do cansaço extremo. Beba. Saia de casa. Sei que nessa pandemia ainda é complicado, mas mesmo assim, faça o que der com responsabilidade. Se tiver rede de apoio, use ao máximo. Use a rede de apoio também para ter horas de estudo.
  • Não exija demais de você mesmo. Mesmo que você tenha uma família pra sustentar ou contas demais pra pagar. Se você morrer ou ficar inválido, vai foder do mesmo jeito. Pega leve nesse trampo caralho! O seu chefe está comendo o melhor churrasco, tá dando aquele rolê gostoso na praia e você tá aí, dando tempo excessivo da sua vida para sobreviver a ameaças de demissão, de ser um impostor, de ser incompetente e de ser um cara que não entrega "o que se espera de um sênior". Foda-se.
  • Cuide da saúde, dos dentes e pense sempre em deixar bons seguros de vida para os seus. Dependendo de onde morar, faça seguro da casa também. Se pegar o carro para trabalhar muito longe, se pegar estrada, se pegar fretado… já sabe.  Seja absolutamente discreto ao decidir trabalhar para fora ou mesmo, mudar para um emprego melhor aqui mesmo. Aliás, seja sempre discreto com tudo na sua vida. NÃO FALE NADA SOBRE TEUS PLANOS NA SUA EMPRESA. Às vezes, convém manter os planos em sigilo até mesmo de sua família. Por exemplo, se você tem um plano de ter uma segunda fonte de renda e comenta isso no trabalho, claramente vão associar uma eventual queda de produtividade com este seu suposto segundo trabalho. E você será sempre julgado e colocado de lado sem ao menos saber o que está acontecendo. Evite isso. Cala a merda da sua boca! Isso vale muito para mim também.
  • Mantenha seus documentos em dia. Isso significa ter passaportes em dia. Isso significa, possivelmente, ter visto de visitante para os EUA em dia. Se estiver apenas morando junto com a esposa, considere o casamento formal - alguns vistos demandam tempo de casamento formal para que o cônjuge também seja incluído no visto. Considere também deixar os passaportes dos seus filhos absolutamente prontos. Pode acontecer muitas greves ou mesmo, falta de dinheiro para este tipo de serviço, como já aconteceu recentemente.
  • Sempre guarde pelo menos 10% do salário bruto, antes dos impostos. E esse dinheiro em geral precisa ser utilizável em no máximo 1 dia útil. E claro, nesse aspecto, seja honesto e tenha as finanças da casa organizadas. Você e seu cônjuge precisam saber para onde vão todos os centavos que entram. Sem segredinhos. Sem grana escondida para comer porcaria, usar drogas ou gastar com prostituição. E não se esqueça: separe o sagrado orçamento do lazer individual e coletivo!
  • Não interessa mais o carro que você tem. O trabalho remoto ajuda muito nesse aspecto, porque afinal, você não precisa mais comprar um carro bom para demonstrar sucesso no estacionamento do trabalho. Não se afunde em dívidas altas por causa de um carro, que hoje em dia, tem um custo altíssimo. Mas como sempre reforço, a compra do primeiro carro é obrigatória e em algum momento da vida é necessário tanto comprar um carro como também, fazer um upgrade. Só tome cuidado para que as contas mensais estejam equilibradas.
  • Junte dinheiro para eventuais viagens a trabalho. Pense em um caixa com pelo menos 1000 euros para você gastar em eventual passeio pela Europa após suas entrevistas ou mesmo, reuniões de trabalho pós-contratação! :)

Saúde e sucesso para todos!

Top comments (0)

All DEV content is created by the community!

Hey, if you're landing here for the first time, you should know that this website is a global community of folks who blog about their experiences to help folks like you out.

Sign up now if you're curious. It's free!