DEV Community

loading...
Base dos Dados

O Brasil nas Olimpíadas

lucasnascm
I'm economist and after build Stata code for my conclusion in degree, I'm surfing on alsewome sea that Python, R and SQL are for data science
・4 min read

TL;DR

Hoje começa mais uma edição das Olimpíadas, mas você sabia que os jogos da Era Moderna tiveram sua primeira edição em 1896? Nesse texto vamos apresentar dados históricos dos Jogos Olímpicos, que já estão limpos, tratados e disponíveis no datalake público da Base dos Dados. Os microdados das Olimpíadas trazem informações sobre os jogos, cidade sede, as delegações, atletas e suas características, além dos esportes, suas diferentes modalidades e medalhistas também.

O script de análise foi executado em R usando nosso pacote de dados. A ideia aqui é mostrar um panorama da performance brasileira nas edições em que a delegação brasileira esteve presente. Vale lembrar que, com a BD+, você também pode acessar esses dados em Python ou diretamente pelo BigQuery.

library("basedosdados")
library("tidyverse")
library("gridExtra")
library("dplyr")

olimpiadas <- basedosdados::read_sql("SELECT * 
                                      FROM `basedosdados.mundo_kaggle_olimpiadas.microdados` 
                                      WHERE delegacao = 'BRA'", billing_project_id='input-dados')

Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Presença confirmada

O Brasil teve sua primeira participação em uma edição dos Jogos Olímpicos em 1900, na cidade de Paris. O único atleta da delegação era Adolphe Klingelhoeffer, que competia nas provas de atletismo. A próxima edição com representantes brasileiros foi em 1920 e, desde então, temos marcado presença em diferentes provas. Abaixo você pode conferir o panorama da participação brasileira ao longo das edições dos jogos, com número de atletas e modalidades, e veja também o código utilizado para produzir essa visualização.

participação_br

counts <- olimpiadas %>% filter(edicao == "Summer") %>% 
  group_by(ano) %>%
  summarize(
    atletas = length(unique(id_atleta)),
    eventos = length(unique(evento))
  )

p1 <- ggplot(counts, aes(x=as.numeric(ano), y=as.numeric(atletas))) +
  geom_point() +
  scale_y_continuous(limits=c(0,470)) +
  labs(title="Participação brasileira nos Jogos Olímpicos", y="Total de atletas") +
  theme(plot.title = element_text(hjust = 0.5)) +
  geom_line() + xlab("")
p2 <- ggplot(counts, aes(x=as.numeric(ano), y=as.numeric(eventos))) +
  geom_point() +
  scale_y_continuous(limits=c(0,250)) +
  labs(x="Anos", y="Modalidades") +
  geom_line()
grid.arrange(p1, p2, ncol=1)
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

O recorde de participação brasileira foi em 2016, competindo em casa, com 462 atletas disputando em 222 provas distintas. As edições passadas foram bem diferentes, a média de participação das 5 edições anteriores a 2016 foi de 236 atletas. Esse ano contamos com 302 atletas em Tokyo, segundo dados do Comitê Olímpico Brasileiro.

Quadro de Medalhas

Nas próximas duas semanas, todos os jornais e canais esportivos se concentrarão nos melhores momentos da nossa delegação e o quadro geral de medalhas será um destaque nos noticiários. Analisando o desempenho dos atletas nos jogos em que participou, o Brasil acumula 30 medalhas de ouro, 36 de prata e 63 bronzes. O gráfico abaixo mostra os esportes, nas modalidades masculina e feminina somados, em que o Brasil divide suas conquistas.

medalhas

No nosso podium, Judô, Vela e Atletismo são os recordistas no total de medalhas com 22, 18 e 16, respectivamente. Os dados permitem identificar quem são os atletas campeões e os eventos em que eles garantiram a vitória. Nas modalidades do Judô 🥋, as mulheres ganharam 3 medalhas de bronze e 2 de ouro, enquanto os homens trouxeram para casa 12 bronzes, 3 pratas e 2 ouros. Será que na edição Tokyo 2020 esse resultado se altera? O script para desenvolver o gráfico é:

medalha_counts <- olimpiadas %>% filter(!is.na(medalha))%>%
  group_by(ano, esporte, evento, medalha) %>% 
  summarize(Count=length(unique(medalha)))
#ordena a tabela
medalha_counts$medalha <- factor(medalha_counts$medalha, levels=c("Gold", "Silver", "Bronze"))

#total de medalhas por modalidade esportiva ao longo dos anos
lev <- medalha_counts %>%
  group_by(esporte) %>%
  summarize(Total=sum(Count)) %>%
  arrange(Total) %>%
  select(esporte)
medalha_counts$esporte <- factor(medalha_counts$esporte, levels=lev$esporte)

#criação do gráfico
ggplot(medalha_counts, aes(x=esporte, y=Count, fill=medalha)) +
  geom_col() +
  coord_flip() +
  scale_fill_manual(values=c("gold1", "gray70", "gold4")) +
  ggtitle("Total de medalhas brasileiras por esporte nos Jogos Olímpicos") +
  theme(plot.title = element_text(hjust = 0.5))
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Mulheres nas Olimpíadas

A participação feminina brasileira nos jogos acontece pela primeira vez somente em 1932 - 36 anos após a primeira edição - e a lacuna entre homens e mulheres é notória. Antes dos anos 2000, a razão de homens para mulheres nos jogos era de 20% em média: ou seja, para cada mulher competindo na delegação, existiam outros 5 homens. Somente no novo milênio que essa desigualdade quase se anula, a nível Brasil. Em 2016, foram 207 mulheres e 255 homens competindo em 31 esportes diferentes.

sexo

O código de análise do total de participação por sexo ao longo dos anos é fácil.

#filtrando para edição de verão dos Jogos
sexo <- olimpiadas %>% filter(edicao == "Summer")

#série do total de atletas por sexo
counts_sex <- sexo %>% 
  group_by(ano, sexo) %>%
  summarize(atletas = length(unique(id_atleta)))
counts_sex$ano <- as.integer(counts_sex$ano)

#criação do gráfico
ggplot(counts_sex, aes(x=ano, y=atletas, group=sexo, color=sexo)) +
  geom_point(size=2) +
  geom_line()  +
  scale_color_manual(values=c("orange","darkgreen")) +
  labs(title = "Participação masculina e feminina nas Olimpíadas") +
  theme(plot.title = element_text(hjust = 0.5))
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

A Base dos Dados é uma iniciativa sem fins lucrativos, open source e que busca facilitar e fomentar a produção de conhecimento no Brasil. Nosso intuito aqui foi instigar a você analisar mais. Muitas perguntas podem ser respondidas (e outras tantas serem feitas) analisando essa história. Podemos continuar conversando sobre dados em nossa comunidade no Discord: https://discord.com/invite/huKWpsVYx4.

Que a força esteja com nossos atletas! Vai Brasil!

Discussion (0)