DEV Community

Por que você não acredita na sua capacidade?

Fala galera, pokemaobr aqui novamente, para trazer mais conteúdo para você que é dev e está começando ou não necessariamente começando nessa área. Sempre trago coisas que vivencio no dia a dia ou que a galera solicita na live. O artigo de hoje foi solicitado por 303n0 e iremos falar de uma maneira diferenciada de síndrome do impostor.

Mas pokemão, todo mundo fala sobre isso toda hora, já to de paciência esgotada desse tema. Acredite em mim, falarei de modo diferenciado. Além disso, o tema tem que ser discutido, porque todo dia o que mais vejo entre as pessoas que sigo no twitter são pessoas que tem uma capacidade tremenda, já desenvolveram grandes projetos, participam de grandes iniciativas e ainda sim duvidam hora ou outra da sua capacidade. Eu me incluo nisso de vez em quando.

Antes de entrarmos, gostaria de lembrar que esse conteúdo é financiado através do nosso apoia.se/pokemaobr, então, se você curtir o conteúdo e quiser nos ajudar financeiramente, pode enviar qualquer valor através da plataforma. Gostaria de agradecer a todas as pessoas que estão contribuindo.

A primeira coisa que posso afirmar para vocês.

Quem é ruim de verdade não sente síndrome do impostor
BR,pokemão.

A pessoa é a impostora mesmo, e ela tem que criar situações onde é melhor que as outras, tem que ter uma lábia absurda para vender algo que não é, aproveitar do trabalho de outras pessoas para crescer, desmerecer o trabalho de outras, enganar, enrolar, fingir e muito mais. Infelizmente temos muitas pessoas assim no nosso meio. A parte boa é que nunca veremos uma palestra sobre síndrome de impostor desse tipo de pessoa.

Quando nos vendem que a área de tecnologia é uma coisa maravilhosa, onde o dinheiro vem fácil e em pouco tempo, onde cursos de uma semana são suficientes para você entrar na área, onde viramos sênior em dois anos e coisas aleatórias desse tipo. Esquecem de falar o quanto trabalhar na área mexe com nosso psicológico.

O mundo é imediatista e quando não conseguimos “performar imediatisticamente” nos cobramos e achamos que somos menos do que o “mercado precisa”. Não podemos passar mal, não estar em um dia bom, ter problemas pessoais, cuidar de nossos entes queridos em uma fase difícil, que isso potencializa, quem sofre com a síndrome do impostor, a sensação de incapacidade e de não estar “suprindo as expectativas”.

Uma coisa que eu acabo fazendo sempre que tenho essa sensação, é analisar o que já fiz, mesmo que em uma área nada a ver, que se assemelha com o que estou passando no momento. Lembro que quando entrei no iMasters, dois dias após o meu segundo evento eu tive apendicite, operei e fiquei duas semanas sem trabalhar, em alguns momentos me senti mal de não estar na ativa. E estar “sendo bancado sem fazer nada”. Porém, se eu morresse, não haveria outra pessoa com exatamente as mesmas habilidades que eu tinha naquele momento para realizar os trabalhos que viriam a seguir.

Pensando nesse caso, eu preferi me cuidar e esperar passar o tempo de “resguardo” e dar o meu melhor no momento em que estivesse bem física e psicologicamente. O que me rendeu muitos eventos, muitas boas lembranças e conhecer muitas pessoas da comunidade de desenvolvimento.

Nós costumamos nos comparar demais sabe, com pessoas que muitas vezes estão na caminhada a muito mais tempo que a gente, que passaram por muito perrengue para estar onde está, que sofreram bastante com tudo que já passaram e que até se assemelha com o que estamos passando. Essas pessoas já passaram pelo o que a gente passa, e talvez por isso já estejam calejadas com algumas coisas e por isso parecem “performar mais”.

Mas porque não nos comparamos com aquela pessoa sênior de dois anos? Que não tem experiência nenhuma, mas acha que sabe de tudo? Que não sabe a diferença entre open-source e freeware, e mesmo assim acredita que está no lugar onde deveria estar. Que não entrega nada, mas se vende como se estivesse fazendo de tudo pela empresa? Ainda posta no linkedIN que marcou entrevista num domingo de feriado e nenhuma pessoa candidata compareceu…

Temos que nos inspirar em quem está na nossa frente, não nos cobrarmos para sermos exatamente iguais a essas pessoas. Entender que é parte do nosso caminho crescer, mas que temos nossos limites. Entender que somos seres humanos e com isso também sofremos as limitações da nossa carne. Seja em questão de saúde, seja em questão do que sabemos até o momento, seja porque estamos passando por uma fase complicada na nossa vida pessoal.

Você não acredita na sua capacidade por que se cobra demais, por que consome muitas redes sociais e acaba achando que o que está no feed reflete a realidade. Porque as pessoas não vão se vangloriar com os tombos que tomam. Mas você deveria. Os tombos são parte do que nos coloca para a frente, são parte do que você precisa para crescer.

Todo mundo tem horas boas e horas ruins, fases boas e fases ruins, tem dias que parece que era melhor nem ter acordado. Mas isso não te faz menos do que você é. A galera valoriza ( inclusive a gente ) aqueles coaches que falam um monte de groselha sem fundamentos. Por que não podemos acreditar com a pessoa com quem a gente dorme e acorda todos os dias? Que sabemos as qualidades e defeitos ( muitas vezes não aceitamos ).

Se não está bem, está tudo bem. Não se force para fazer algo que não está realmente no melhor momento para fazer. Obviamente que temos nossas "obrigações" e em muitos casos temos que fazer o que não queremos. Mas, se algo não te faz bem recorrentemente, talvez seja a hora de fazer algo que te deixa mais a vontade de fazer.

Você é capaz de muito. Relembre o quanto você evoluía com o passar da sua infância. Quando fez algumas coisas que hoje você acredita serem básicas pela primeira vez. Muitas vezes apenas olhando como era feito anteriormente. Relembre o quanto você estudou, o quanto você se dedicou, o quanto você batalhou para estar onde está.

E se for para se comparar. Se compare contigo de 5 anos atrás. De 10 anos atrás. Com certeza hoje em dia você está em um lugar muito melhor, ou pelo menos com muito mais experiência que você tinha naquela época. Só podemos nos comparar com alguém que tem a mesma caminhada que a gente, ou seja, nós mesmos.

E pare de chorar nas redes sociais. Fale sobre isso com pessoas que você realmente confia. Quando emanamos energias negativas recebemos mais do que emanamos. Tem pessoas ( as impostoras ) que só querem nos ver sofrendo e agradecem demais quando olham nosso feed e vê que não estamos bem, não dê esse gosto para elas.

Ah e faça terapia. Nada como falar sobre o que estamos sentindo com profissionais de verdade e não com vídeos de youtube de auto ajuda que prometem que você terá a cura dos seus problemas psicológicos. Fale com alguém que estudou de fato sobre isso. Quer uma indicação de psicologa? A Lola é sensacional!

Inclusive se quiser ignorar tudo que eu falei aqui é uma boa :)

Desejo que tenha curtido esse artigo. Caso tenha alguma dúvida pode entrar em contato comigo no contato@pokemaobr.dev ou na minha live: https://twitch.tv/pokemaobr ou no twitter: https://twitter.com/pokemaobr !

Você também pode contribuir monetariamente para que eu possa criar mais conteúdos gratuitos para devs no nosso apoia.se

Deixa aqui o seu comentário sobre o que foi escrito. Obrigado de coração e até a próxima.

Discussion (3)

Collapse
mrtinsvitor profile image
Vitor Martins

Buscar terapia é essencial, consegui perceber muito mais e tratar a minha síndrome do impostor depois de começar na terapia. Muito bom o artigo!!

Collapse
rs_marinheiro profile image
Rafael

Show Pokemon!!!!!Muito massa seu artigo

Collapse
rafaelmb profile image
Rafael Mena Barreto

Belas palavras seu Pokemao